Os 14 melhores espumantes nacionais e importados para você provar

Uma lista imperdível para quem gosta de espumantes e quer ficar por dentro de quais são os melhores do mercado hoje.

Por Ana Szevcynski
Atualizado em 28-02-2020

Este conteúdo faz parte de uma série:


Vamos falar de espumante!

Reunimos aqui neste post as principais informações sobre o universo do espumante que você sempre quis saber, mas sempre teve vergonha de perguntar.

Também listamos 14 rótulos que você não pode perder.

Continue lendo que a gente vai te contar tudo!

O que são os espumantes

Espumantes e champagnes

Espumantes e champagnes são vinhos brancos ou rosé que passam por duas etapas de fermentação.

Na primeira, a fermentação alcoólica e comum a todos os vinhos, o açúcar do mosto (o líquido) das uvas é transformado em álcool. O resultado disso é chamado "vinho base".

A segunda fermentação, que faz parte apenas dos vinhos com efervescência, é quando leveduras ocorrem naturalmente ou são acrescentadas para formação da espuma e bolhas da bebida.

Esta segunda etapa pode acontecer de duas formas diferentes:
* com a fermentação em grandes cubas de aço inox, chamado método Charmat
* com a fermentação na própria garrafa, chamado método Champenoise

Fermentação na garrafa, o método Champenoise

Neste processo, a tomada de espuma do vinho é feita dentro da garrafa, o que exige muita atenção e tempo até chegar no resultado final da bebida.

Os vinhos espumantes produzidos a partir da Champenoise são considerados mais nobres que o Charmat, devido a sua produção quase artesanal.

Todo o processo de fermentação Champenoise foi descoberto e aperfeiçoado pelos franceses, no século 17.

Aliás, foi daí que surgiu o nome do espumante mais famoso do mundo, o champagne.

O método Champenoise faz com que a produção dos vinhos espumantes demorem mais de um ano para serem finalizadas, o que interfere no gosto e no valor cobrado aos consumidores.

O resultado disso tudo é um vinho espumante mais complexo, rico no aroma e sabor e com uma perlage (bolhas) mais delicada.

Fermentação industrial, o método Charmat

Esse processo foi criado em 1895, bem depois do outro tipo de fermentação, mas ao longo dos anos se tornou o mais utilizado, por ser mais rápido e mais barato.

A segunda fermentação do vinho, em vez de feita na própria garrafa, acontece em um tanque de inox, chamado de autoclave.

É nesse momento que acontece a formação do álcool e do gás carbônico.

Após o processo, a levedura é retirada e o vinho espumante é transferido para a garrafa, onde não continua evoluindo.

A fermentação dos vinhos pelo método Charmat dura em média 4 meses, o que garante uma produção em grande escala e com preços mais acessíveis.  

Esses vinhos espumantes geralmente são frutados, leves, refrescantes e fáceis de beber!

Fermentação pelo método Asti

Este processo é uma derivação do método Charmat, pois também ocorre dentro dos autoclaves.

Uma das diferenças é que o método Asti é designado apenas para os vinhos espumantes produzidos com as uvas Moscato de casca branca, o que origina espumantes chamados Moscato ou Moscatel.

Na produção desses espumantes, o processo de fermentação é interrompido precocemente por choque térmico.

Isso proporciona um espumante com frescor, baixo teor alcoólico e destacado sabor adocicado, com grande intensidade de aromas florais e frutados.

O espumante Moscato é originário da cidade Piemonte, comuna de Asti, na Itália.

Nasceu lá no século XVI, produzido pelo Giovan Battista Croce. Assim foi conhecido como Moscato d'Asti ou Espumante Asti!

Em 1965 o método de fabricação foi aprimorado pelo francês Carlo Gancia, o que consolidou o nome Espumante Moscato ou Moscatel.

Semelhante ao que acontece com os champagnes (como vamos explicar logo abaixo!) os Espumantes Asti tem uma origem controlada.

Só podem ser chamados assim os vinhos produzidos com as mesmas características na região de Piemonte na Itália.

Se tiverem as mesmas características mas forem produzidos em qualquer outro lugar do mundo, são denominados Espumantes Moscato ou Moscatel.

Espumante ou Champagne?

Espumante Champagne ou Champanhe

Tem uma conhecida frase que fala "todo champagne é um espumante, mas nem todo espumante é um champagne”.

Isso porque os champagnes (ou champanhes) receberam o nome da cidade em que nasceram.

Então, para um espumante ter esse nome, deve ser produzido conforme uma série de regras:

Se o espumante for produzido conforme as técnicas e com as uvas exigidas, mas fora da região delimitada, será "só" um espumante e não pode usar o nome "champagne".

Os 14 melhores espumantes nacionais e importados

Apesar de os champagnes serem de uma qualidade e tradição indiscutíveis, existem muitos espumantes excelentes pelo mundo.

Confira abaixo a nossa seleção!

Espumantes Brut

Para quem prefere um sabor menos doce e mais seco.

15. Espumante Norte-americano Domaine Laurier Brut

Domaine Laurier Brut

Características: paladar equilibrado
Origem: California, Estados Unidos
Método: Champenoise
Variedade das uvas: Chardonnay
Teor alcoólico: 11%
Temperatura ideal para beber: 8ºC

Um premiado espumante varietal californiano, com 100% das uvas Chardonnay, produzido pela vinícola Domaine Laurier Winery.

Possui 85 pontos pela Wine Enthusiast e ganhou medalha de prata na San Francisco Chronicle Wine Competition nas edições de 2018, 2017, 2016 e 2014.

Apresenta aromas complexos, destacando pera e pão. O paladar é cítrico, frutado, equilibrado e de final médio. Pode ser harmonizado com frutos do mar e canapés.

14. Espumante Brasileiro Casa Valduga Brut Reserva

Casa Valduga Brut Reserva

Características: paladar equilibrado, perlage fina
Origem: Vale dos Vinhedos, RS
Método: Champenoise
Variedade das uvas: Chardonnay e Pinot Noir
Teor alcoólico: 12.5%
Temperatura ideal para beber: 6ºC

Este rótulo premium, produzido pela renomada vinícola Casa Valduga, matura durante 25 longos meses em caves subterrâneas

Isso resulta em um excelente espumante, com perlage fina, aromas de frutas tropicais e amêndoas e paladar equilibrado e de intenso sabor.

Harmoniza com carnes brancas, risotos à base de frutos do mar e canapés.

13. Espumante Português JP Extra Brut

JP Extra Brut

Características: paladar equilibrado, perlage fina
Origem: Bairrada, Portugal
Método: Champenoise
Variedade das uvas: Castelão e Arinto
Teor alcoólico: 12.5%
Temperatura ideal para beber: 8ºC

Espumante de bom custo-benefício produzido pela renomada vinícola Bacalhôa Vinhos de Portugal.

Possui um estilo moderno, com aromas frutado e floral, além de toque de fermento. O paladar é leve, frutado, com boa acidez e persistência.

Pode ser harmonizado com variadas receitas, como ostras gratinadas ao vinho branco, arroz de marisco, acarajé vegano e bolinhos de arroz com ervas finas.

Espumantes Demi-Sec

Para quem prefere sabores intermediários, nem muito secos, nem muito doces.

12. Espumante Espanhol Cava Jaume Serra Cristalino Demi Sec

Jaume Serra Cristalino Semi Seco

Características: paladar equilibrado
Origem: Penedes, Espanha
Método: Champenoise
Variedade das uvas: Macabeo, Parellada e Xarello
Teor alcoólico: 11.5%
Temperatura ideal para beber: 6ºC

Este Cava de bom custo-benefício, assinado pela vinícola Jaume Serra, é produzido em uma das regiões mais famosas pelo tipo de espumante.

Possui um rico aroma frutado e notas florais. O paladar é equilibrado, suave e bastante refrescante.

Pode ser harmonizado com sobremesas e receitas à base de frutos do mar.

11. Espumante Argentino Norton Demi Sec

Norton Demi Sec

Características: paladar fresco, perlage fina e persistente
Origem: Mendoza, Argentina
Método: Charmat
Variedade das uvas: Chardonnay e Chenin Blanc
Teor alcoólico: 11.7%
Temperatura ideal para beber: 8ºC

Rótulo produzido pela vinícola argentina Norton, que iniciou sua produção em 1895 com vinhas importadas da França.

É bem versátil, com aroma levemente adocicado e forte presença de frutas frescas. O paladar segue o perfil do aroma, combinado a uma perlage fina e persistente.

Além de harmonizar com diferentes ocasiões, fica muito bom quando degustado em companhia de bolos e cremes.

10. Espumante Brasileiro Miolo Cuvée Tradition Demi Sec

Miolo Cuveé Tradition Demi Sec

Características: paladar equilibrado, perlage final e abundante
Origem: Vale dos Vinhedos/RS
Método: Champenoise
Variedade das uvas: Pinot Noir, Chardonnay
Teor alcoólico: 12%
Temperatura ideal para beber: 8ºC

Espumante premiado e produzido pela Miolo, uma das vinícolas mais tradicionais do Brasil.

Possui a medalha de bronze pela TEXSOM International Wine Awards 2017 e prata pela Vinalies Internationales 2010.

Apresenta aromas de frutas brancas e cítricas com notas de menta e hortelã. Em  boca é frutado, fresco, equilibrado, macio e com final agradável.

Harmoniza com salada caprese, galeto assado com legumes grelhados, quiche de alho poró, canapés e ceviche de  frutos do mar.

Espumantes Rosé

Para quem prefere sabores mais frescos e frutados.

9. Espumante Brasileiro Hiragami Kanpai Brut Rosé 2018

Hiragami Kanpai Brut Rosé 2018

Características: paladar complexo e equilibrado  
Origem: São Joaquim/SC
Método: Charmat
Variedade das uvas: Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 12%
Temperatura ideal para beber: 6ºC

Um supreendendente espumante de uvas Cabernet Sauvignon, produzido pela vinícola Hiragami, especializada em vinhos finos.

Apresenta aromas de mel, tostado e cereja. Em boca é complexo, equilibrado e com final médio.

Pode se harmonizado com carpaccio de carne bovina ou salmão, além de frutos do mar e canapés.

8. Espumante Espanhol Cava Freixenet Ice Rosé

Freixenet Ice Rosé

Características: paladar frutado, final fresco
Origem: Catalunha, Espanha
Método: Champenoise
Variedade de uvas: Garnacha, Pinot Noir e Chardonnay
Teor alcoólico:
Temperatura ideal para beber: 7ºC a 9ºC

Um clássico espumante Freixenet, do tipo Cava, pois é produzido sob regras da Denominação de Origem Controlada (D. O. C.) da Catalunha.

Já é bastante renomado, seus últimos prêmios foram as medalhas de bronze no International Wine Challenge 2018 e no Decanter World Wine Awards 2017.

Possui intenso aroma de frutas vermelhas, especialmente framboesas e morango. O paladar é frutado, com notas de anis e especiarias e final fresco.

Harmoniza com queijos cremosos e sobremesas e pode ser degustado sozinho ou combinado com frutas e sucos.

7. Espumante Brasileiro Chandon Brut Rosé

Chandon Brut Rosé

Características: paladar equilibrado, perlage fina e abundante
Origem: Garibaldi, Rio Grande do Sul
Método: Charmat
Variedade de uvas: Riesling Itálico, Pinot Noir, Chardonnay
Teor alcoólico: 4.9%
Temperatura ideal para beber: 7ºC

Um espumante brasileiro de origem francesa! Produzido pela Chandon, presente no Brasil desde 1973 e líder no segmento nacional de espumantes naturais de luxo.

Este premiado rótulo apresenta aromas de frutas vermelhas e especiarias doces. Em boca é fresco, equilibrado, cremoso, aveludado, com perlage fina e abundante.

Harmoniza com carpaccio, salada caprese e queijos frescos ou semi moles.

Espumantes Moscatel

Para quem prefere um sabor mais doce.

6. Espumante Italiano Dulcis D'asti

Dulci's Moscato D'asti

Características: paladar adocicado
Origem: Piemonte, Itália
Método: Asti
Variedade de uvas: Moscatel
Teor alcoólico: 7%
Temperatura ideal para beber: 6ºC

Um legítimo espumante Asti, com selo de Denominação de Origem Controlada (D.O.C.) da região de Piemonte.

Apresenta aroma de frutas brancas e paladar adocicado, levemente ácido. Pode ser harmonizado com sobremesas à base de frutas vermelhas.

5. Espumante Brasileiro Casa Perini Moscatel

Casa Perini Moscatel

Características: paladar equilibrado, final agradável
Origem: Vale Trentino, Farroupilha/RS
Método: Asti
Variedade de uvas: Moscato
Teor alcoólico: 7.5%
Temperatura ideal para beber: 6°C

Este moscatel, produzido pela renomada Casa Perini, possui um ótimo custo-benefício e já foi eleito o melhor espumante do mundo!

É dono dos títulos de o 5° melhor vinho e o 1° melhor espumante do mundo pela The World Ranking Wines & Spirit 2017. Além disso, possui 90 pontos no Guia Descorchados.

Apresenta aroma frutado e floral, com paladar equilibrado, fresco e perlage resistente. Ideal para harmonizar com frutas e sobremesas.

4. Espumante Brasileiro Salton Moscatel

Salton Moscatel

Características: paladar doce e frutado
Origem: Serra Gaúcha, RS
Método: -
Variedade de uvas: Moscatel
Teor alcoólico: 7.5%
Temperatura ideal para beber: 6ºC

Mais um Moscatel brasileiro de ótimo custo-benefício! Este, produzido pela consagrada vinícola Salton, também premiado.

Recebeu medalhas de bronze e prata pela San Francisco International Wine Competition (2014 e 2011) e foi elogiado pela International Wine Challenge 2014.

Apresenta aromas de frutas tropicais e cítricas. O paladar é doce, frutado, cremoso, fresco e leve. Harmoniza com tarte tatin, apfelstrudel, panetone e bolo de banana.

Champagnes Franceses

Para quem quer pura elegância e tradicionalidade.

3. Champagne Jacquart Mosaïque Brut Rosé

Jacquart Mosaïque Brut Rosé

Características: paladar frutado, final agradável
Origem: Champagne, França
Método: Champenoise
Variedade de uvas: Chardonnay, Pinot Meunier, Pinot Noir
Teor alcoólico: 12.5%
Temperatura ideal para beber: 7ºC

Um legítimo Champagne produzido pela vinícola Jacquart, uma das maiores produtos de vinho de todo o mundo.

Do tipo brut, este rótulo possui variados prêmios, como as medalhas de bronze pela International Wine Challenge 2017 e 2016 e Decanter World Wine Awards 2017.

Possui aroma de frutas vermelhas e leves notas de pão. O paladar é elegante, frutado, cremoso e refrescante.

Ele harmoniza com receitas mais elaboradas, como ostras gratinadas, fettuccine com camarão, carpaccio de salmão e bruschetta de tomate com queijo brie.

2. Champagne Moët & Chandon Brut Impérial

Moët & chandon Brut Impérial

Características: paladar estruturado, perlage delicada
Origem: Champagne, França
Método: Champenoise
Variedade de uvas: Chardonnay, Pinot Meunier, Pinot Noir
Teor alcoólico: 12%
Temperatura ideal para beber: 10°C

Um dos champagnes mais clássicos da história, produzido desde 1869 pela grandiosa vinícola Moët e Chandon.

O rótulo possui uma extensa lista de prêmios, sendo os últimos a medalha de bronze pela International Wine Challenge 2018 e prata na The TEXSOM International 2018.

Possui aromas de frutas cítricas, flores brancas, brioches e nozes.  O paladar, rico em sabor, é estruturado, cremoso, com boa acidez, notas brioche e perlage delicada.

Harmoniza com ostras frescas, vieiras empanadas, folhado de salmão, codorna recheada, risoto de camarão e moqueca capixaba.

1. Champagne Montaudon Brut

Montaudon Brut

Características: paladar elegante
Origem: Champagne, França
Método: Champenoise
Variedade de uvas: Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay
Teor alcoólico: 12%
Temperatura ideal para beber: 9ºC

Um champagne de bom custo-benefício, produzido pela vinícola Maison Montaudon, premiado e bastante elogiado!

Gnhou duas medalhas de bronze em 2017, uma pela International Wine Challenge e outra pela Decanter World Wine Awards.

Possui aroma de frutas brancas, mel, torradas, pão e fermento. O paladar é cremoso, elegante, com boa acidez e médio corpo.

Harmoniza com ostras, salmão defumado, robalo grelhado com purê de mandioquinha, moqueca, pupunha assada e queijos brancos moles.


Ultima dica.

Na hora de comprar seus espumantes, compare os preços na Zaply!